Sexta, 28 de Janeiro de 2022 12:34
61998647854
Brasil Sem gestão e crise

Dívidas, salários atrasados e falta de gestão: a triste realidade da Itapemirim

Desespero dos funcionários e sindicato. Empresa estaria em recuperação judicial e os negócios de aviação parecem que "foram para o espaço".

21/12/2021 06h51
Por: Redação Fonte: Redação
Empreendedores tentam salvar os negócios
Empreendedores tentam salvar os negócios

Quem viu essas fotos com esse "mega e top empresário" não imaginava que isso iria acontecer. Por que uma empresa quebra? Praticamente o problema é gestão e não adianta culpar governos pela alta carga tributária porque isso é discurso para os "fracos do mundo dos negócios".

A empresa ITA, do grupo Itapemirim Transportes Aéreos suspendeu temporariamente suas operações. A prática deve ser para ganhar tempo e tentar vender o que sobrou da empresa ou ainda conseguir um sócio milagroso que chegue para pagar as contas. E a empresa teve muitos elogios pelo governo federal, mais precisamente pelo presidente Jair Bolsonaro, mas o DF Informa não entrará nesse mérito investigativo para não misturar política com gestão empresarial.

No site da empresa, que segundo especialistas do mercado era uma das piores em marketing e relacionamento com a mídia, a suspensão será temporária e para uma reestruturação interna. No mesmo comunicado, a empresa diz que já informou a ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil e que está prestando assistência aos passageiros. O e-mail de contato disponibilizado é [email protected].

Disponibilizar apoio é uma coisa, agora se a empresa irá cumprir, isso só o tempo dirá aos passageiros que já relatam transtornos.

Tentando não misturar os assuntos, mas que não tem como isentar porque a empresa é uma só, a ITA informa no comunicado que a decisão das questões aéreas não atrapalha e impacta as questões dos transporte rodoviários. Mas já é um alerta ao mercado nacional e que deixa trabalhadores apreensivos.

Em uma live em outubro do ano passado, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, contou ao presidente Jair Bolsonaro (PL) que o Grupo Itapemirim havia entrado para o ramo de transporte aéreo. Na mesma transmissão, o presidente abriu um pacote com um ônibus em miniatura da Itapemirim. Tarcísio citou na live o programa “Voo Simples”, lançado pelo governo também em outubro de 2020, como um pacote de medidas para reduzir custos no setor de aviação.

Desde 2016 a empresa estaria em recuperação judicial e deve uma "gordurinha" de apenas R$ 253 milhões aos fornecedores e mais R$ 2,2 bilhões em tributos, que são impostos. O DF Informa perguntou a empresa se ela possui no quadro de funcionários profissionais de gestão e o que recebemos de retorno foi exatamente a nota que a empresa divulga em suas redes sociais.

A crise na Ita começou seis meses após seu lançamento. O Sindicato Nacional dos Aeronautas expressou revolta:

"Cerca de 20 tripulantes estavam espalhados pelo Brasil a trabalho e ficaram sem auxílio da empresa para comer e até voltar para casa. Fizemos contato com outras companhias aéreas para elas darem carona de volta para eles", afirmou o sindicato.

De acordo com trechos publicados no site G1, logo no meio da recuperação judicial da Viação Itapemirim e os planos de lançamento da Ita, Sidnei Piva, dono do grupo Itapemirim, abriu em 21 abril deste ano uma empresa no Reino Unido no valor de 780 milhões de libras — o equivalente a quase R$ 6 bilhões. De acordo com documento obtido pelo g1, a SS Space Capital, como é chamada, é uma holding de serviços financeiros, fundos de investimento e fundos imobiliários. O grupo foi procurado e não teria se posicionado.

Enquanto isso, os passageiros tentam sobreviver sendo, segundo a empresa, assistidos. Veja a mensagem que a empresa enviou ao DF Informa:

***

Dando continuidade aos seus esforços de assistência aos passageiros em virtude da suspensão temporária das operações da ITA, o Grupo Itapemirim orienta que apenas os clientes que estejam fora de seu domicílio, e que tenham viajado anteriormente com a ITA, entrem em contato nos canais de atendimento da companhia, exclusivamente para reacomodação de retorno aos seus destinos de origem.

Clientes que ainda estejam em sua cidade de domicílio, com voos programados a partir de hoje, serão atendidos exclusivamente com o reembolso integral dos valores pagos.  
A companhia orienta os passageiros que não tentem realizar check-in online e não compareçam aos aeroportos antes de contatar a empresa aérea.
Para solicitar o reembolso, o cliente pode:
1. Procurar sua agência de viagem, caso nao tenha feito a compra da passagem direto com a Itapemirim
2. Enviar um e-mail para [email protected] com o nome completo e número do localizador de sua reserva
3. Fazer a solicitação diretamente no site da companhia, em www.voeita.com.br. Clique em Reembolso, no menu superior, e preencha o formulário
Informamos que o atendimento pode ser feito pelo telefone 0800 723 2121 e pelo chat presente no site da companhia. O horário de atendimento é das 6h às 21h. A ITA alerta que, devido à alta demanda, pode haver uma demora acima do esperado para o atendimento.
 A companhia segue trabalhando arduamente em conjunto com a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) para mitigar os efeitos causados aos passageiros pela suspensão temporária de suas operações. A ITA tem contado com o apoio das demais companhias aéreas nacionais para a reacomodação de passageiros impactados.
 
O Grupo Itapemirim também está utilizando a sua empresa de transporte rodoviário, a Viação Itapemirim, como parte do plano de contingência para a reacomodação dos passageiros por via terrestre.
 Mais uma vez, lamentamos os transtornos causados. A ITA reafirma seu compromisso de prestar toda assistência aos passageiros, conforme prevê a resolução 400 da ANAC. A companhia trabalha neste momento em sua reestruturação para a retomada de suas operações o mais breve possível.
Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias