Sexta, 28 de Janeiro de 2022 13:28
61998647854
Política Traidor de milhões

Mais sujo que pau de galinheiro: assim é Valdemar da Costa Neto, o dono de Bolsonaro

Bolsonaristas assistem a Família Bolsonaro se curvar para o homem mais "limpinho" da política nacional.

08/12/2021 05h31 Atualizada há 2 meses
Por: Redação Fonte: Redação
Desesperado, Bolsonaro faz de tudo pela reeleição
Desesperado, Bolsonaro faz de tudo pela reeleição

Quem diria que o presidente Jair Bolsonaro, eleito com o zelo do discurso e o máximo de cuidado em dar orgulho aos brasileiros, iria se juntar a um dos políticos mais sujos da história do país, o dono do partido PL, Valdemar da Costa Neto. O DF Informa registra que atualmente ele é "limpo" e talvez seja por isso que a família de servidores públicos eletivos, os Bolsonaro's esteja tão empolgada assim.

Para tentar a reeleição, o presidente Jair Bolsonaro jogou a toalha da moralidade e se rendeu politicamente a tudo que se possa imaginar dentro dos bastidores do poder. É o garçom político do chamado Centrão, que reúne os políticos mais habilidosos do país e tanto o presidente quanto os filhos políticos sabem que sem "vender a alma" para o Centrão, Bolsonaro poderia ser cassado ou "levar chumbo nas urnas", o que ainda não está descartada essa hipótese, vista os números que o ex-presidente Lula conquista nas pesquisas eleitorais nos quatro cantos do Brasil.

Voltando a falar de Valdemar da Costa Neto, recentemente foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a 7 anos e 10 meses em 2012 pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Mas, talvez a sua pena maior tenha sido a coligação política com o presidente Jair Bolsonaro. Mas o que o eleitor de Bolsonaro se pergunta é: cadê aquele presidente eleito prometendo não fazer conchavos políticos ou se rendendo aos esquemas estratégicos da corrida eleitoral?

O que milhares de bolsonaristas devem estar se perguntando e morrendo de vergonha é: porque presidente, porque o senhor fez isso. Prometemos a vida ao senhor e agora você me faz aliança com um dos maiores nomes da corrupção brasileira, na verdade dois, Roberto Jefferson e Valdemar da Costa neto. Porque, Presidente?

Valdemar da Costa Neto foi preso, cumpriu pena e teve o perdão de pena do ministro Luís Roberto Barroso, do STF, em 2016. Detido e depois solto, conseguiu sobreviver as negociações partidárias. O DF Informa apurou que Valdemar Neto "é mesmo o cara da política". Na gestão Bolsonaro, ele emplacou até uma deputada como ministra, fez indicações no Ministério da Saúde, no Banco do Nordeste e no Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, e talvez vários outros lugares.

 

A lista chega a ser assustadora. Ele é o dono do Partido PL e tem histórico de ser ligado a Maluf, outro ícone da política nacional.

A parceria com o ex-presidente Lula, do PT, rendeu muita coisa boa, mas vários desafios e desafetos, obviamente. Em meados de 2005, o então deputado Roberto Jefferson (PTB) denunciou o esquema do Mensalão e acusou Costa Neto de envolvimento direto. A ex-mulher do presidente do PL depôs no Conselho de Ética da Câmara que o ex-marido costumava mandar o tesoureiro do partido a Belo Horizonte para buscar "várias malas" e que tinha um "cofrão" cheio de dólares. 

Valdemar da Costa Neto é realmente um artista. Depois de caminhar com Lula, passa a ser o dono do passe político de Bolsonaro. Como Bolsonaro foi aceitar o homem forte da política lulista? Nem os aliados conseguem explicar.

E para a surpresa dos apoiadores do presidente Bolsonaro, chamados de bolsonaristas, tanto Roberto Jefferson quanto Valdemar da Costa neto são dois alucinados e apaixonados pelo presidente, mas antes, inimigos no caso do Mensalão. Na época, Costa Neto renunciou ao mandato para não ser cassado e admitiu ter recebido dinheiro de caixa dois do PT para pagar dívidas de campanha

E os BO's não param por aí. Em 2013, Costa Neto também foi alvo de uma investigação determinada pelo STF que identificou indícios da participação do ex-deputado em um esquema de vendas de pareceres técnicos do governo a empresas privadas, com a participação de agências reguladoras. Em 2020, se tornou réu por peculato, corrupção passiva e fraude a licitação por um suposto esquema de superfaturamento nas obras públicas.

Com todo esse currículo invejável a qualquer habilidoso do colarinho branco, Valdemar da Costa Neto se torna o dono do Brasil ao fazer Jair Bolsonaro e seus filhos pedirem benção diariamente no expediente regado a tratativas políticas, tudo em busca da reeleição.

Aos bolsonaristas que são milhares nos Estados e estampam adesivos dizendo "fechados com Bolsonaro", "Bolsonaro 2022", "Contagem pública de votos", resta engolir o descaso do seu líder e esperar de cabeça baixa a família Bolsonaro se encurvar cada vez mais para o poder, sem contar a triste realidade acometida aos militares que, com longo histórico de orgulho da carreira, se viram diante de fazer parte de um governo que se rende ao rei do Mensalão, o maior esquema de corrupção da história do Brasil.

(Com informações de vários jornais com fontes históricas e redação opinativa do DF Informa)

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias