Segunda, 06 de Dezembro de 2021 02:36
61998647854
Brasil País abandonado

Auxílio aos mais pobres vai de escada e preço dos alimentos, gás e gasolina vai de elevador

Bolsonaro e Equipe brincam de "governar" o país que se agrava na crise política, crise financeira e desemprego.

28/10/2021 06h24
Por: Redação Fonte: Redação
Famílias sonham com o auxílio que, por enquanto, não tem dinheiro
Famílias sonham com o auxílio que, por enquanto, não tem dinheiro

O governo federal, na gestão do presidente Jair Bolsonaro, até que está tentando lançar um programa de ajuda aos mais pobres com a sua “cara”, que é o Auxílio Brasil. Porém, mais uma vez, Bolsonaro e equipe não sabem de onde tirar dinheiro para custear um auxílio de pelo menos R$ 400,00.

A única saída encontrada até agora é dar o calote no pagamento dos precatórios, mudar o orçamento e explodir inacreditavelmente o teto de gastos do governo brasileiro, com um montante recorde dos últimos anos.

Isso quer dizer que o governo federal, mesmo com uma dívida declarada e sendo obrigado a pagar, que são os precatórios, a equipe econômica de Bolsonaro insiste em “negociar” a forma de dar o calote, ou seja, não pagar agora ou parcelar por longos meses e até mesmo ano.

O dinheiro que Bolsonaro precisa para lançar seu sonhado projeto Auxílio Brasil custará caro ao Brasil. É claro que a população precisa e tem direito, mas tudo que é feito sem gestão e sem planejamento, custa caro e quem paga a conta será a mesma população que receberá o valor do auxílio.

O Auxílio Brasil nada mais é que uma Xerox do Bolsa Família que o presidente Bolsonaro quer lançar para não usar o programa anterior por ser do seu maior inimigo político.

De que adianta o governo federal pagar um auxílio com valor maior que o Bolsa Família, do governo petista, se o preço do básico que o ser humano precisa está explodindo nas nuvens de alto. Por exemplo, a carne brasileira. Por longos anos, o “filé” da carne foi todo vendido ao exterior e enquanto isso os brasileiros pagaram absurdos para ter um pedaço de carne na mesa e na refeição das famílias.

O preço do gás de cozinha é um “tapa na cara da sociedade” onde todos os representantes do povo assistem e nada fazem para impedir. O custo da gasolina fez elevar o valor na bomba. Com estradas, ruas e avenidas de péssima qualidade, além de ter a manutenção do veículo consumindo o dinheiro das famílias e dos trabalhadores que usam veículos para produzir, agora são obrigados a abastecer pagando mais de R$ 7,00 o litro do combustível.

Com crise política se agravando, Bolsonaro segue debochando do sistema político brasileiro e se concentra no judiciário para não deixar avançar que suas redes sociais sejam bloqueadas a pedido da CPI da Covid do Congresso Nacional.

O jornal DF Informa torce para que o governo federal encontre uma solução para os problemas do Brasil, pois ao invés de querer dar o calote, anunciar programa de ajuda social sem ter dinheiro, querer explodir o teto de gasto- maior e mais infantil erro que um gestor público pode fazer em sua catastrófica carreira pública – e ao invés de esnobar o preço do gás e de outros produtos essenciais para a sobrevivência, o presidente deveria zelar pelo país, acolher melhor as críticas, anunciar um programa que seja compatível com o país, profissionalizar a sua gestão pública e respeitar os parlamentares e a ciência. 

O dia 2 de novembro está chegando, Dia dos Finados, e em plena pandemia Bolsonaro não terá muito o que comemorar se fechar os olhos e lembrar dos mais de 605 mil mortos pela Covid-19. (Foto reprodução Google/Stimeca)

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias